Fique por dentro! Utilidade Pública

Reforma Eleitoral

Vereador Iraguassu filho critica reforma eleitoral.

O Vereador Iraguassu Filho (PDT) fez uso da tribuna da Câmara Municipal nesta quarta-feira (04) para discutir sobre o cenário político nacional, especialmente sobre a reforma eleitoral aprovada na noite da última terça-feira (03) pelo Senado Federal. Depois de vários meses de impasse sobre o tema, a PEC foi aprovada em dois turnos, em menos de vinte minutos, sem as devidas discussões.

“ O Senado em 20 minutos conseguiu votar os dois turnos da PEC que já havia sido debatida na Câmara dos Deputados sem nenhuma alteração, com uma cláusula de desempenho muito branda, inclusive, que começa a viger já em 2018, mas o fim das coligações só para 2020. Na verdade querem criar a toque de caixa um Fundo de Financiamento das eleições para o ano que vem, isso porque precisa ser aprovado até a próxima sexta. Fundo inclusive que já foi motivo de várias discussões esse ano e agora volta à tona, sendo hoje o único objetivo dos congressistas. Aprovar uma matéria de forma sorrateira, sem discussão com a sociedade não dá” criticou Iraguassu.

O Vereador também fez críticas às recentes medidas adotadas pelo Governo que, em meio a tramitação da segunda denúncia contra o Presidente, recebe quase cem parlamentares no Palácio do Planalto para negociar a sua votação. Por outro lado, aprova perdão de dívidas tributárias, no momento em que alega ser urgente uma reforma da previdência unicamente pela falta de recursos públicos.

Ontem na agenda oficial quase cem deputados estavam para realizar o dialogo com o Presidente Michel Temer. A gente não quer acreditar que seja para negociar a votação da segunda denúncia. Por outro lado, vemos a Câmara aprovar perdão de dívidas tributárias, quando assistimos ao grave corte feito pelo Governo na Politica Nacional de Assistência Social. Querem aprovar a reforma da previdência sob a única alegativa de que não tem dinheiro, que não há arrecadação necessária para dar conta das despesas da previdênciaFicamos extramente preocupados, sem conseguir entender, quando o Governo fala que não tem dinheiro, que deve aumentar a arrecadação, diminuir a despesa, mas negocia o perdão de dívidas, inclusive previdenciárias” alertou Iraguassu Filho