A exposição “XIMENES 50 anos: uma estética cearense” reúne vinte xilogravuras percorrendo uma trajetória cinquentenária de um artista que revela em suas incisões e impressões o povo e a cultura cearense. Possibilita resgatar, homenagear e reapresentar uma estética cearense. Suas obras retratam a particularidade desse povo. Em sua maioria, elas foram gravadas em um momento político em que os brasileiros sofriam repressões violentas.

O artista inicia sua trajetória representando prédios que configuram uma relação de poder e resistência. Vem se destacando no cenário local e nacional desde a década de 1960. Sua habilidade em trabalhar com escultura, pintura, couro, talha e principalmente em xilogravura lhe renderam prêmios e participações no Salão de Abril, Bienal de São Paulo e foi apontado pelo crítico de arte Roberto Pontual como um dos maiores gravadores do Brasil. Na mesma época em que o Brasil, em especial, o estado do Ceará viveu a ditadura militar, o artista grava o trabalho intitulado Forte Nossa Senhora da Assunção.

Com isso, tenta alertar que o poder está em uma instituição militar, forte, protegida por armas, detentora das leis. Em contraposição ao poder, o trabalho intitulado Casa de Raimundo Cela é um espaço de arte. Nela, aprendizes e professores tentavam construir uma nova forma de expressão por meio do domínio da técnica. Sendo assim, um centro de resistência ao poder instituído.  O artista, em todo o seu percurso, abordou temas que nos levam a refletir sobre as relações de poder e expostos em salões nacionais e internacionais. Agora, os cearenses terão a oportunidade de ver essas obras no Museu da Cultura Cearense do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura no período de 14 de junho a 29 de julho de 2018.

Abertura no dia 14 de junho de 2018, às 20h, no Museu da Cultura Cearense. Visitação de 15 de junho a 29 de julho de 2018, de terça a sexta, das 9h às 19h (com acesso até as 18h30), e aos sábados, domingos e feriados, das 14h às 21h (acesso até as 20h30). Acesso gratuito e livre.