No Rastro do Cangaço

Exposição “No Rastro do Cangaço” homenageia 80 anos da morte de Lampião

Apoiado pelo Sesc, artista cearense retrata temática regional e faz alusão a obras consagradas

Entre fora da lei e símbolo de resistência e bravura, Virgulino Ferreira da Silva, mais conhecido como Lampião, deixou marcos na cultura popular. Em homenagem à história do Rei do Cangaço, que completa 80 anos de sua morte neste mês, o Sesc*, braço social do Sistema Fecomércio – CE, inaugura a exposição “No rastro do Cangaço (Série visões do Cangaço)” do artista cearense, Vlamir de Sousa Silva, no dia 27/7, na Galeria Mário Baratta, no Estoril, em Fortaleza.

Com o apoio da Secretaria de Cultura de Fortaleza (Secultfor), a exposição conta com mais de 20 obras que retratam a temática regional com pinturas a óleo, envolvendo desenhos, aquarelas e técnicas mistas. De acordo com Vlamir de Sousa, seu trabalho faz referências a grandes nomes das artes como Vincent Van Gogh, August Klimt e Caravaggio, por meio de comparações na estética da pintura.

“Você pode perceber um romantismo tosco nas obras. O foco não é a violência, mas sim sobre o ponto de vista da vivência. Existe ali o amor sublinhado, a oração e a Fé ligadas à questão da sobrevivência para mostrar a humanidade dos cangaceiros. É possível universalizar o regional no vínculo comparativo aos grandes mestres”, descreve Vlamir, que há mais de 20 anos está envolvido com o tema do cangaço.

Reunidas pela primeira vez em uma mostra, de acordo com o técnico de cultura da Unidade Fortaleza do Sesc, Glailton Bezerra, as obras ficarão expostas até o dia 14 de setembro no Estoril, valorizando a cena artística local. “É uma exposição que retrata momentos fortes do grupo de Lampião de uma forma diferenciada, na qual o talento do artista se sobressaiu”, explica.

De artista para artista

“Matar, vingar, rezar e ajudar o que deve ser ajudado. És a súmula do cangaço!

Vlamir de Sousa, um incansável estudioso do cangaço, reinventa cenograficamente o mundo dos valentes e de Lampião e seus ‘cabras’. Sabendo que o próprio Virgulino era um artista que vestia seus comandados conforme seu senso estético. Basta olhar os grandes chapéus bordados e enfeitados com espelhos, medalhas, símbolos religiosos e etc. As ‘fardas’ curiosamente criada para a vivência climática. Tudo criado e costurado pelo próprio artista Lampião. O olhar de Vlamir de Sousa é crítico, político ou sociológico, mas também é mirada na estética da sua substancial potência artística”. Descartes Gadelha – pintor, desenhista, escultor e músico brasileiro.

Sobre os 70 anos do Sistema Fecomércio

Após o período da Segunda Guerra o Brasil passou por grandes desafios. O Estado não conseguia atender à crescente demanda por serviços sociais, nem acompanhar o novo contexto do mercado de trabalho. Deste modo, em maio de 1945, representantes empresariais da indústria, comércio e agricultura, realizam em Teresópolis, a primeira Conferência das Classes Produtoras (CONCLAP). Nesse encontro elaboram uma proposta ousada de custeio dos serviços sociais e da educação profissional para os trabalhadores com recursos das classes patronais. A Carta da Paz Social foi o documento que formalizou as diretrizes para o desenvolvimento econômico com justiça social. Nascia assim, a partir da iniciativa do empresariado, o Sistema S, o maior Sistema de desenvolvimento social do mundo.

No Ceará, em 16 de março de 1948, o empresário Clóvis Arrais Maia fundou a Federação do Comércio com a finalidade de unir lideranças do setor para colaborarem com a educação profissional e a qualidade de vida dos trabalhadores. No mesmo ano, a Fecomércio implanta o Sesc e o Senac instituições mantidas pelos empresários do comércio que ofertam serviços sociais e educam para o comércio de bens, serviços e turismo.


Serviço:

Inauguração da Exposição – No rastro do Cangaço (Série visões do Cangaço)

Dia: 27/7 (sexta-feira)

Horário: 19h

Local: Galeria Mário Baratta – Estoril (Rua dos Tabajaras, 397 – Praia de Iracema, Fortaleza)

Visitação: segunda a sexta-feira, 8h às 17h, sábado 9h às 15h

Acesso gratuito

Informações: (85) 3452.9090