Fique por dentro! Utilidade Pública

Projeto Musicoterapia utiliza músicas doadas por artistas para transmitir força e esperança a dependentes químicos

O projeto lançado no dia 14 de junho tem duração de três meses. Toda renda será destinada ao Desafio Jovem, tradicional instituição que cuida gratuitamente de dependentes químicos no Ceará há 43 anos.

Um acorde para despertar novas vidas. Projeto beneficente criado no Ceará capaz de transformar a música em um poderoso aliado na luta contra as drogas, o projeto Musicoterapia une em prol da Instituição Desafio Jovem um time de artistas renomados da música brasileira, como Fagner, Thathi, Falamansa, Margareth Menezes, Leoni, Thomas Roth, Edi Rock, Marcos Lessa, entre outros, que doaram músicas de sua autoria e que passam uma mensagem positiva de esperança para quem está passando por problemas com drogas, compondo assim os Gift Cards vendidos por R$ 5,00 (cinco reais) cada música.

“Fizemos uma curadoria muito rígida para que todas as palavras das músicas fizessem sentido para quem está vivenciado problemas com drogas e para que elas possam realmente direcionar as pessoas de uma maneira positiva”, diz o diretor da Bolero Comunicação, André Mota.

Além dos músicos, o projeto abraça a causa também por meio de grandes nomes das artes plásticas, como Luci Sacoleira, Juliana Araripe, Mano Alencar, Mino, Rian Fontenele, Valber Benevides e Totonho Laprovitera, que assinam pôsters do projeto. Toda renda será destinada ao Desafio Jovem, tradicional instituição que cuida gratuitamente de dependentes químicos no Ceará há 43 anos. Além dos Gift Cards e cartazes, serão comercializados também camisetas e bottons.

O projeto Musicoterapia é uma realização do Sistema Verdes Mares, com criação e elaboração da Bolero Comunicação. A ação terá duração prevista de três meses, período em que contará com equipes de vendas nas ruas e estandes nos principais shoppings de Fortaleza para a venda dos produtos.

“O Musicoterapia traz a solidariedade em alto e bom som. É um estimulo para os jovens vencerem as drogas, além de ser uma fonte de renda para a Instituição Desafio Jovem, que está viva, bem e presta um serviço de muita relevância a toda sociedade”, reforça o diretor do Desafio Jovem, Marcos Bráulio de Almeida. Para André Mota, a droga hoje é uma das causas da violência e de muitos outros males. “Esse é um problema que atinge toda sociedade e durante os três meses de projeto, iremos oferecer aos residentes do Desafio Jovem ações educativas e culturais que envolvem a música. Eles estão recebendo aulas de instrumentos musicais e coral, além da alquimia sonora, que consiste num experimento de ioga e música, que busca o resgate da autoestima e a reintegração da pessoa. Eles merecem uma segunda chance, não só pelo aspecto humano, mas para que a sociedade tenha mais segurança, já que o problema das drogas está ligado diretamente à segurança pública”, ressalta o publicitário.